A estratégia do Oceano Azul - Um Estudo de Caso

Quando você ouve falar na Amazon, qual tipo de produto vem a sua cabeça? Inicialmente, a Amazon era associada unicamente a livros. A marca foi a primeira loja virtual de livros do mundo, em 1995, e a empresa “nadou” em um oceano azul por algum tempo.

A estratégia do Oceano Azul diz respeito a um mercado novo e inexplorado, onde uma nova demanda por um tipo de produto ou serviço é criada, e não disputada - o que torna a concorrência irrelevante em um primeiro momento. Não há regras definidas, e é um ótimo ambiente para novas ideias.

Voltando ao estudo de caso, a venda de livros online era uma realidade até então desconhecida. Para se comprar um livro, o consumidor precisava se deslocar até alguma das centenas de livrarias já existentes. Porém, naquele mercado já estabelecido e acirrado, se a Amazon surgisse como uma livraria física, muito provavelmente ela seria só mais uma marca. O e-commerce revolucionou o conceito para compras de livros. Devido ao seu sucesso e o seu crescimento, novas empresas surgiram no ambiente digital e a Amazon se viu cercada de concorrentes diretos. A partir deste momento, ela entrou no oceano vermelho.

A estratégia do Oceano Vermelho é uma alusão a competição sangrenta entre grandes marcas. Nesse cenário, companhias de um mesmo setor competem pelo mesmo mercado e disputam pelos mesmos clientes, buscando por uma maior parcela no seu marketshare. A competitividade é elevada e, para se manterem com vantagem nas vendas, as empresas devem escolher por alguma estratégia entre diferenciação ou preço baixo (estratégias genéricas, definidas segundo Porter).

Percebe-se que o oceano azul é um lugar passageiro, não constante. Não basta criar uma nova oportunidade de mercado, e entender que foi feito o necessário para garantir a sobrevivência da empresa. Com a concorrência cada vez maior no mercado, as empresas precisam estar em constante inovação e, por isso, conhecer esse tipo de estratégia é importante para um planejamento mais eficaz e que traga maiores resultados.

Hoje, o seu e-commerce está muito além dos livros e é vista nos mais diferentes mercados. A Amazon também voltou a navegar em oceanos azuis quando fez o lançamento do Kindle, que revolucionou a maneira de ler livros no mundo, e depois ainda com o lançamento da Alexa, um dispositivo inteligente integrado que realiza diversas tarefas unicamente por comandos de voz (explorando a inteligencia artificial). Com isso, vemos que mesmo em um mercado cada vez mais competitivo e com grandes dificuldades de crescimento, como é o e-commerce hoje em dia, a Amazon inovou e, em 2018, atingiu uma receita operacional de mais de 200 bilhões de dólares.

Onde estaria essa mesma empresa se ela continuasse sendo apenas uma loja virtual de livros até hoje?